Skip to content

Meu olhar sobre São Lourenço

Feliz cidade

Não querendo ser saudosista, mas sendo, lembro muito bem, daquele dia 23 de janeiro, quando cheguei para residir em São Lourenço. Chovia muito e choveu por mais alguns dias, até que o sol brilhou e revelou toda a irradiante beleza desta “Feliz Cidade”.

Localizada no sopé da Mantiqueira, no Vale do Rio Verde, Sul de Minas Gerais, São Lourenço está a 285 Km do Rio de Janeiro, 310 Km de São Paulo e a 410 Km de Belo Horizonte, área de 52Km² e aproximadamente 870 metros acima do nível do mar.

O clima era ameno, o céu azul e o sol brilhando todos os dias. Não havia prédios, com exceção do Edifício São Lourenço e do Hotel Brasil. Também não havia trânsito. A cidade era pacata, hospitaleira e seu povo tranquilo. Bem, assim eu enxerguei São Lourenço naquele verão de 1982.

Eu vinha de uma grande cidade, São Paulo, mas parecia que eu voltava para casa, tal a afinidade por São Lourenço.

Aos poucos fui procurando conhecer mais deste local tão deslumbrante e então soube que sua história estava quase esquecida ou ignorada pela maioria de seus moradores. 

Recém-formada em jornalismo e ávida por notícias, dediquei-me a buscar suas raízes. Pesquisei muito e descobri a tenacidade de seus fundadores e como surgiu e cresceu este município.

A descoberta das águas

A primeira referência às águas de São Lourenço deve-se ao padre Manoel Ayres de Casal, em sua admirável “Corografia Brasílica”, em 1817, onde diz vagamente que “junto a um ribeirão que cai no Rio Verde, há água vitriólica, gasosa”, talvez as águas minerais do Carmo do Rio Verde.

O local onde existiam as fontes fazia parte de uma extensa fazenda conhecida por “Bomba”, cujas terras pertenciam a João Francisco Viana, que residia, com seus três filhos: Antônio, José e João, nesse vasto latifúndio pertencente à Comarca de Cristina.

Fala-se ainda de uma antiga denominação deste local como “Pouso de Lourenço”, devido ao fato de pela região ter passado, por volta de 1675, rumo às minas de ouro da “Minas Gerais dos Cataguás”, com patente de “Governador de Tropas”, o bandeirante Lourenço Castanho Taques.

Um fato de sabor lendário envolve a descoberta da primeira fonte. Os antigos moradores contavam que Antônio Francisco Viana era caçador e que em contato permanente com a natureza despertava admiração, tendo o apelido de “Formoso Caçador”. 

Numa incursão pelos brejais, Viana deparou-se com uma nascente de água cristalina que “fervia” no lodaçal. Com o cantil colhe a linfa fresca e pura, sorvendo-a em tragos compassados. Desperta-lhe a atenção o “sabor diferente”, ácido, agradável, passando ao uso sistemático dessas águas, embora com trabalho e sacrifício.

Ao fim de um certo tempo, a excelência da água descoberta se espalhou pela vizinhança, passando o local a ser conhecido como “Sitio do Viana”, local das águas milagrosas, Santas, como as “Virtuosas de Campanha e Baependi”. E como diz o aforismo latino “aquae condunt urbs”, as águas do “Sitio do Viana” fundaram a cidade de São Lourenço.

Fundação da cidade

Ao longo dos trilhos sinuosos e as margens da antiga estrada do Carmo do Rio Verde e Pouso Alto, que convergiam ao local da fonte, ou agrupadas pelas encostas dos morros, sem arruamento certo, surgiam casebres de taipa de mão e cobertos de palha, barracões improvisados que ofereciam aos primeiros “aquistas” insuficiente abrigo e eram totalmente desprovidos de qualquer conforto.

Em 1889, as “estórias e milagres” das Águas do Viana chegaram ao conhecimento do Comendador Bernardo Saturnino da Veiga e este, vislumbrando um grande futuro, consegue, com a ajuda do influente político local Capitão Francisco Isidoro da Silveira Pinto, a aquisição das terras e o privilégio da exploração das águas, concedida pelo primeiro governador efetivo do Governo Provisório do Estado de Minas Gerais e depois primeiro Presidente do Estado após a Proclamação da República, doutor José Cesário de Faria Alvim, e  oficializada em quatro de junho de 1890, pelo Doutor João Pinheiro da Silva, segundo governador do Estado de Minas Gerais. 

A cidade era nova e promissora, e sua maior riqueza eram as suas águas medicinais que lhe prometiam um grande futuro.

Para cá vieram turistas de vários lugares, a princípio em lombos de mulas, depois de trem e finalmente de ônibus, carros e até avião. Muitos que buscaram tratamento com as águas acabaram se fixando aqui, sendo pioneiros em várias atividades.

A rede hoteleira foi se ampliando e o futuro estava traçado: cidade com vocação turística voltada para a saúde. Desta forma estava claro que indústrias poluentes não eram benvindas em São Lourenço.

Calçadão

O comércio e os serviços prosperaram, mas com a falta de escolas profissionalizantes e universidades, seus jovens precisavam sair para estudar em grandes cidades e muitos não voltavam.

Aos poucos, a área educacional evoluiu. Vieram os cursos pré-vestibulares e finalmente as faculdades, com opções de escolha para os estudantes da cidade e região.

Muitas pessoas fixaram residência em São Lourenço e, com isso, também vieram os problemas de cidade grande, como o trânsito, por exemplo, mas nada que se compare aos grandes centros. Faltava espaço, já que a área urbana é pequena. Então, de repente, a cidade começou a crescer verticalmente e também novos bairros foram surgindo, com os loteamentos das propriedades rurais. Mais pessoas se mudando para cá, em busca da “Feliz Cidade”.

São Lourenço hoje é um polo de saúde e educação da redondeza, atraindo profissionais de quase todas as especialidades médicas, jovens estudantes da região e entorno, turistas e pessoas em busca das belezas de seu parque das águas, de suas colinas, de um bom centro comercial e de serviços, de suas águas curativas, de sua aura de cidade espiritualizada, sua gente simpática e seu status de “Feliz Cidade”.

Parque das águas

O Parque das Águas continua sendo um dos grandes atrativos para os turistas que aqui encontram, além da beleza de um dos parques mais bonitos e bem cuidados da América Latina, um grupo importante de fontes carbo-gasosas, cuja composição varia desde as águas acídulo-gasosas da fonte nº 1, conhecida por “gasosa” e da fonte nº 2, vulgarmente denominada “Magnesiana”, até as alcalino-gasosas, fontes nº 3, denominada Vichy” por sua semelhança à da França, nº 4, Ferruginosa e nº 5, Alcalina. A nº 6, Fonte Sulfurosa ou “Jaime Sotto Mayor, é conhecida como a Fonte da Beleza, carbo-gasosa, sulfurosa, bicarbonatada férrica-alcalina, alcalina-terrosa.

As águas minerais de São Lourenço têm efeito diurético espetacular, servindo como meio de acelerar a eliminação de elementos tóxicos armazenados pelo organismo, cálculos renais e ácido úrico elevado, apresentando peculiaridades para cada patologia conforme orientação médica.

Nos distúrbios digestivos a melhora é sentida precocemente, principalmente nas gastrites e dispepsias.

Passeio quase que obrigatório de turistas que buscam o contato com a natureza, as belas alamedas, suas fontes modernas de variadas águas medicinais e suas duchas de águas minerais.

Balneário São Lourenço

Moderno e totalmente remodelado, nem de longe lembra que foi o primeiro a introduzir, em 1930, pelo médico Doutor Eurípedes da Costa Prazeres, a aplicação dos banhos carbo-gasosos no Brasil com resultados excelentes desde aquela época.

O Dr. Eurípedes, foi também, o primeiro prefeito eleito pelo voto em São Lourenço, em 1947, já que até aquela época, a cidade era considerada Área de Segurança Nacional.

Passeios

Como cidade turística, não poderia deixar de ter muitas opções de passeios e entre eles: 

  • a visita ao Templo e Museu da Eubiose; 
  • o Trem das Águas; 
  • o passeio de balão; 
  • a Aldeia Vila Verde e a Feirart com suas lojinhas de artesanato local, de doces, de sorvetes e sucos, licores e objetos de souvenir; 
  • visitas à Igreja Matriz, em cuja pedra fundamental de 1935, estão documentos da visita do então Presidente da República, Dr. Getúlio Ornelas Vargas; 
  • a tranquilidade de andar pelas ruas; 
  • fazer suas compras de artesanato e malharias, entre estas a Malharia Alzira; 
  • degustar doces e a autêntica comida mineira em bons restaurantes e
  • o conforto e hospitalidade em seus muitos hotéis e pousadas espalhados pela cidade, emprestando-lhe sempre um ar de festa.

Sociedade Brasileira de Eubiose

Outro atrativo que sem dúvida traz para cá muitos visitantes de várias partes do Brasil e exterior e novos moradores para a cidade é o Templo e Museu da Sociedade Brasileira de Eubiose, inaugurado em 1949, pelo Professor Henrique José de Souza e sua esposa Helena Jefferson de Souza.

A mística que envolve a cidade, denominada pelo polígrafo espanhol Doutor Mário Roso de Luna de “Capital Espiritual do Brasil” e complementada como a “Capital Espiritual do Mundo”, pelo Professor Henrique José de Souza, deve-se aos ensinamentos deixados por este em seus vários livros publicados e, milhares de páginas que contém suas cartas e estudos, que somente seus discípulos, após fazerem os cinco graus iniciáticos, têm acesso. 

O Professor Henrique e sua esposa Helena estiveram em São Lourenço pela primeira vez em 21 de setembro de 1921, quando deram por fundada a instituição que hoje recebe o nome de Sociedade Brasileira de Eubiose, no Morro da Esperança, hoje conhecido como Montanha Sagrada, tendo seguidores nos departamentos e representações em várias cidades do Brasil, América do Sul, Europa e até no Japão.

O Professor, em uma de suas estadas em São Lourenço, em 1931, deixou escrito no “Livro de Impressões” do antigo e já extinto Hotel Miranda que dizia ser este o local santificado, onde o Eterno se manifestando a ele afirmara: o Ígneo elemento concorre para o assombroso metabolismo que se processa no seio da terra, convertendo em “águas miraculosas”, que curam ou aliviam os sofredores do corpo, enquanto que, o outro, o verbo solar ou divino, há de curar a quantos acham-se maleficamente “doentes do espírito”.

O Templo da Eubiose, bem como o seu museu interno, tem recebido constantemente milhares de visitantes de todo o Brasil e do exterior, sendo a SBE reconhecida como de Utilidade Pública pelo município e estado de Minas Gerais. Tem como lema “Spes Messis in Semine” – A Esperança da Colheita está na Semente, e tem ainda em uma de suas ordens internas, outro lema: “Realização através do caráter e da cultura”. Visitas aos sábados e domingos das 14 às 16 horas.

Trem das Águas

Em 1884, Dom Pedro II e sua comitiva inaugurou a Estrada Minas e Rio, sendo esta ferrovia o último empreendimento do tipo que teve a participação do Barão de Mauá, conhecido como o desbravador das cidades pelas ferrovias da época, trazidas da Inglaterra.

Nesse período, muitas estações foram construídas, inclusive em São Lourenço, para receber os passageiros que vinham do Rio de Janeiro, ou os de São Paulo, que pegavam o trem em Cruzeiro, no Estado de São Paulo.

São Lourenço recebeu depois uma nova estação, em 1925 e hoje restaurada conta com infraestrutura e acessibilidade, mantendo, porém, seu charme e beleza originais.

O Trem das Águas é tracionado por uma autêntica locomotiva a vapor (Maria Fumaça), do início do século XX, e tem o trajeto de São Lourenço a Soledade de Minas, cidade vizinha com sua estação também de 1884, reformada em 2016 pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, ABPF, fundada em 1977 por Patrick Dollinger e durante o passeio belas paisagens se descortinam, margeando o Rio Verde, ao som de uma autêntica “música caipira” para alegrar os viajantes.

É recomendado que se faça reserva antecipada. Sábados: partidas às 10 e às 14 horas, domingos, às 10 horas. Para feriados entrar em contato. Telefones: (35) 3332-3011 ou (35) 98817-6477 (WhatsApp) reservas@tremdasaguas.tur.br 

Quinta do Cedro – Fazendinha

Uma pequena fazenda que se transformou em um lugar de lazer e até de hospedagem já que também é uma pousada.

Lá você saboreia a típica comida mineira e também a vegetariana, pode adquirir produtos feitos na fazendinha como linguiças, queijos, doces e afins, passeia pelas alamedas bem cuidadas, por suas pequenas pontes, interage com os animais como o avestruz, os cavalos, vacas e bezerros, gansos, patos e demais bichos de uma fazenda no seu dia a dia.

Tem o parque de diversões com uma “praia mineira”, brinquedos iguais aos parques temáticos com água mineral. Passa o dia relaxando e se divertindo com a sua família.

Passeio de balão

Você não precisa ir à Capadócia na Turquia para andar de balão. Aqui em São Lourenço você pode apreciar as belas montanhas em um inesquecível passeio de balão.

Você chega bem cedinho ao Parque Ilha Antônio Dutra, acompanha a explicação do Senhor Flamarion ou do seu filho Alex, de tudo que envolve o balão, tipo de material que é confeccionado, enquanto ele vai se enchendo.

O percurso seguido pelo balão depende do vento, mas é sempre fascinante ver lá do alto a pequena cidade rodeada pelas montanhas, o Rio Verde serpenteando São Lourenço indo para Soledade de Minas com suas extensas fazendas, onde até é possível o balão terminar o seu passeio e você tomar um gostoso café da manhã.

Teleférico

São Lourenço, assim como várias cidades turísticas, também tem seu teleférico.

O passeio tem início na Avenida Don Pedro II, junto ao Rio Verde e sobe até o Mirante da cidade.

Várias cadeirinhas coloridas para uma pessoa, passa bem em cima do Rio Verde, e aos poucos vai se descortinando uma visão panorâmica da cidade, o que é completada no Mirante, 360 graus da mais bela vista, enchendo seus olhos.

Lá você pode ficar admirando a cidade do alto ou pode voltar em seguida para o mesmo ponto de onde partiu.

No momento está sendo remodelado para maior conforto dos visitantes e a construção de lojas para o artesanato e souvenir que o turista sempre gosta de levar para presentear a família e os amigos.

Aldeia Vila Verde

Bem próximo ao Parque das Águas está a Aldeia Vila Verde e a Feirart. 

São lojinhas de artesanato local (de bambu, couro, palha, bordado, tricô, crochê, macramê), de doces, sorvetes e sucos, licores e objetos de souvenir.

Mercado Municipal

Construído em 1936, recebe os visitantes que querem comprar queijos feitos na cidade e região, doces, cafés, frutas, especiarias, aguardente e o artesanato que ali estão expostos.

Encontre na “Feliz Cidade” o que te encanta. São Lourenço te espera.