Skip to content

Roubando a cena está com Clodovil Hernandes

Estilista, Apresentar e Político

Nosso texto não quer polemizar ou descrever Clodovil, apenas apresentar na Comud um dos grandes estilistas brasileiros, que foi pioneiro e abriu as portas da alta costura brasileira.

Polêmico, apaixonante, divertido e respeitado.

Definir Clodovil Hernandes é muito difícil, pois o estilista se tornou apresentador, ator e Deputado Federal. Dedicou-se muito à filantropia.

Vida Pessoal

A Wikipédia possui uma biografia muito interessante, vamos trazer apenas algumas informações especiais, para conhecer um pouco desse personagem da moda brasileira.

Ele nasceu em 1937, na cidade de Catanduva, interior de São Paulo. Estudou para ser professor e chegou a lecionar.

Eu e nós: Mundo LGBT/Memória: Cinco anos sem Clodovil

Tinha paixão pela mãe, foi adotado muito cedo e sua mãe era uma mulher enérgica e vaidosa. Segundo o próprio Clô, ela foi “a única mulher que amou em sua vida”.

Morreu em 2007, no seu primeiro mandato como Deputado Federal.

O Sucesso na moda

Descobriu seu interesse pela moda desde criança, pois gostava de dar palpites no vestuário da mãe, das tias e primas, mas sempre de forma muito discreta, quase escondida do pai. 

No internato, foi apelidado de “Jacques Fath“, um costureiro francês famoso da época. 

Quando estava no último ano dos estudos do curso normal, por incentivo de uma colega desenhou alguns vestidos num caderno. Dos 11 desenhos, vendeu 6 numa loja em São Paulo, ele nem sabia direito o que era ser estilista. 

Foi essa venda dos desenhos que criou o desejo de estudar e se aprofundar no mundo da moda.

Podemos dizer que, na década de 50, começou sua carreira como costureiro, mas foi nos anos 70 que se consagrou e hoje pode ser considerado um pioneiro.

Clodovil Hernandes.

Já em 1960, foi premiado com a Agulha de Ouro e, em 1961, o Agulha de Platina, ambos concedidos pela Casa Matarazzo-Boussac. 

Esse foi o trampolim para se tornar o preferido da alta sociedade de São Paulo.

Clodovil Hernandes: história do irreverente ícone da alta-costura no Brasil
https://www.fashionbubbles.com/historia-da-moda/clodovil-hernandes/286645

Junto com Dener, reinaram na moda brasileira, sendo responsáveis pelo visual de estrelas e da alta sociedade. 

Defendia o fortalecimento da moda nacional no cenário mundial.

Suas roupas vestiram Elis Regina e Cacilda Becker, empresárias como Hebe Alves e as famílias Diniz e Matarazzo. Foi responsável pelo vestido de casamento de Nice com Roberto Carlos.

Tornou-se uma opção brasileira para competir com a importação da moda europeia.

Sua rivalidade com Dener Pamplona de Abreu criou muito burburinho. Na realidade, eram mais amigos do que competidores, mas a suposta rivalidade favorecia a Moda Brasileira.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 5GyHojYW2huhsfyt5rC7EN5kKdJRkHXW3JrlxkA25SCD9mUTgRXAnKWJH_RkK8QLrlnLqjHOgZHrUeiL_oiny2DiDJKfL51qClu-5JKJ_wTz57IHaGs5SpmAooPafVN-GT7h3RI

Da esquerda p/ direita Ronaldo Esper, Clodovil e Dener Pamplona. Uma rivalidade que hoje renderia muitos “clicks”.

Ele foi figurinista para muitas produções, filmes e novelas brasileiras, tais como: O Corpo Ardente, Beto Rockfeller; Lua de Mel e Amendoim, Infidelidade ao Alcance de Todos e Paranóia. 

A criação em 1977 dos figurinos para Kuarup, um espetáculo do Ballet Stagium, foi marcante, pois ele foi responsável por trajes indígenas e macacões de operários usando as cores da bandeira brasileira. 

Ao apresentar os figurinos do espetáculo, Clodovil afirmou então em entrevista à televisão:

O mais importante de tudo é que o povo tome conhecimento de que nós, costureiros, não somos só um boá de pluma que só sabemos usar paetê. Nós temos consciência também daquilo que existe no nosso país e, o que é mais importante, esse sentido de brasilidade que está nascendo a cada dia, e de uma brasilidade pura sem influência nenhuma europeia. E afinal de contas isso é o indígena brasileiro, isso sou eu, que sou um índio, que sou brasileiro, e são todos esses artistas que estão aqui, que são índios, e que são puros e que são brasileiros.”

Seu ateliê, na Rua Oscar Freire, era cheio de glamour, rua que até hoje é o centro de referência em elegância.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é JKUUpeMcFy7TJOhn5Bi8rINj45lcN7EZ1QhAySWC2peY6xl_FkUPYnx8xcpdXeX3Xh9hEmBfDTszVJUd1zKiFwYb2IsULABjMQR2Xdrjf2RgUqCQ7tM_Kj_NrMOvUoRq78WWwcU
Vitrine Clodovil Ateliê na Oscar Freire

Seu talento na moda pode ser visto no Pinterest, mas algumas fotos destacamos abaixo:

Na TV

Em 1976, ganhou o prêmio máximo no programa “8 ou 800?”, apresentado por Paulo Gracindo, ao responder perguntas sobre Dona Beija. Nesse momento, ganhou projeção nacional.

Tentou cantar e atuar no teatro, mas ficou conhecido mesmo com seu quadro no programa TV Mulher, nos anos 80. 

A primeira versão de TV Mulher consagrou, além de Clodovil:

Um time que fez do programa um grande sucesso. Para Clodovil, foi marcante. 

Ele desenhava modelos para pessoas que mandavam cartas e, com isso, ensinava sobre elegância, sobre opções e, principalmente, o que favorecia ou não para cada tipo de corpo.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é QFfmpacf2OMN3cPL0h5tSnqFvYKGWBywpX0AsJVXuE7LyFOxExFq1T-lPaA-TeIBA8A6ZZqDXvlEgU6__YN4hY5vUTq3Ud5Vy0wrM7FdUYCtw0KdL1KNxlmY3oq3561v4kDFoKA

Ficou conhecido do grande público, pois possuía posições polêmicas e as vezes contraditórias. Isso acabou fazendo com ele fosse barrado em alguns momentos e tendo problemas de continuidade na carreira de apresentador.

Seu mais famoso bordão, foi:  “Olha para a lente da verdade e me diz…”.

Programas de Televisão: 

TV Mulher, Clodovil, Manchete Shopping Show, Clô para os Íntimos, Clodovil Frente e Verso, Clodovil Abre o Jogo, Clodovil em Noite de Gala, Retratos, Clodovil Soft, Clodovil Hernandez, Mulheres, A Casa É Sua e Por Excelência.

Polêmicas famosas

Suas declarações tomavam espaço na mídia, pois não tinha “travas na língua”, falava tudo que pensava. 

Na vida pessoal, era assumidamente homossexual, mas possuía forte formação cristã e era muito conservador, sendo muito criticado no meio LGBT.

Clodovil na Política

Foi eleito Deputado Federal em 2006, com quase 500 mil votos, pois as pessoas viam nele a sinceridade e honestidade necessárias. Apresentou 17 Projetos e 1 PEC. 

Três projetos foram aprovados na Câmara, um referente a material escolar, um sobre a obrigação de divulgação dos dubladores em obras audiovisuais e a proposta de Dia da Mãe adotiva.

Normalmente, as celebridades que são eleitas possuem pouca atuação, já Clodovil foi extremamente atuante.

Como podemos ver, ele sempre se preocupou muito com a educação, a classe artística e a família.