Skip to content

A influência dos animais como recursos terapêuticos

A relação humano-animal e seus benefícios observados na terapia assistida por animais

Você tem algum animal de estimação? 

Prefere cachorro ou gato?

Ou ainda, possui pets não convencionais, como coelho, hamster ou aves? 

É cada vez mais comum a presença de animais nas residências Brasil a fora. 

A presença deles é solicitada, na maioria das vezes, como companhia para as mais diversas famílias. 

Tornam-se colegas inseparáveis, intensamente apegados a seus donos, fazendo de seus lares um ambiente mais feliz e descontraído. 

São levados a passeios, às compras, viagens e estão presentes até mesmo em perfis nas redes sociais. 

Sempre juntos

Estão juntos nos mais variados momentos e eventos do cotidiano. Mas existe uma qualificação ainda mais específica pela qual os animais foram promovidos: a de auxiliares em terapia 

A terapia assistida por animais (TAA) é uma ferramenta utilizada como parte do tratamento de inúmeros enfermos, sejam estes acamados, hospitalizados, com deficiências físicas e mentais. 

131384523_139248417786373_7884735320053474474_n.jpg

Em alguns casos, os próprios animais de estimação dos pacientes são levados ao hospital, com a liberação de um médico. 

Em outros, ONGs e outras instituições governamentais são responsáveis por levar os bichinhos até os pacientes.

No geral, os cães são os animais mais frequentemente utilizados, por serem companheiros, carinhos e sociáveis, com facilidade de interagir com todos os humanos que lhe oferecem afagos e atenção. 

Esse recurso conta com a participação de vários profissionais qualificados, incluindo fisioterapeutas, psicólogos e médicos veterinários. 

É comprovado por diferentes estudos que a terapia comum somada a TAA se mostra muito mais eficiente do que apenas a comum realizada isoladamente. 

131622434_919772811887999_7515935399693803890_n.jpg

Os resultados são observados e comprovados principalmente entre idosos e crianças, na melhora progressiva do quadro clínico e interação social.

Fatos

“43 artigos publicados em 30 periódicos, 16 com fator de impacto, foram revisados. Os estudos clínicos prevaleceram (93,02%), 37,20% eram da Medicina, a população estudada tinha diferentes diagnósticos e idades, sendo 55,81% com adultos/idosos. A TAA foi usada preferencialmente para reabilitação física (67,44%) e o principal mediador foi o cão citado em 72,09% dos artigos. Foram descritos oito (n=8) programas com foco na intervenção em comunicação.”

Saiba mais em:

Sentimentos genuínos e verdadeiros possuem a capacidade de interferir de modo direto na recuperação de um paciente. 

Cientificamente, essa reação ocorre devido a produção de hormônios como dopamina e serotonina, relacionados ao bem-estar, bom-humor e satisfação do organismo que o produz, regulando sistemas de maneira interligada. 

Espiritualmente, podemos dizer que as boas energias e conexão gerada nessas ocasiões aquece o coração de ambos os envolvidos. 

Afinal, é uma relação sem maiores interesses, onde o único recurso oferecido pelos envolvidos, pacientes e animais, é o amor. 

Amor: um sentimento tão grandioso, poderoso e complexo, incapaz de ser explicado, mas de enorme significado.  

Se fosse um som, poderia ser um latido. Se fosse um gesto, poderia ser uma lambida. Para ser sentido, basta um olhar.

“O amor puro e sincero não precisa de palavras” – autor desconhecido.

E:\COMUD SABER\FOTOS\artigos\terapia com animaispet-1097671_1920.jpg

Sou a Beatriz, tenho 18 anos e sou estudante de medicina veterinária. Nascida e residente em São Paulo, sou apaixonada por animais, música e literatura. 💖