Skip to content

“Roubando a cena” apresenta Fernanda Montenegro

90 anos de idade e 70 de atuação

Esse meu texto é muito especial, pois inicia um projeto que chamamos na COMUD de “ROUBANDO A CENA”, onde poderemos conhecer atores, atrizes, diretores, autores, cenógrafos, iluminadores, produtores de Teatro, Cinema e Televisão, além de famosos artistas de Circo e de todos no mundo das Artes Cênicas. 

Para começar, traremos uma das damas da dramaturgia, uma missão que ficou muito mais fácil, pois sou muito seu fã! 

Mas muito mais difícil pela responsabilidade!

Acima de tudo uma atriz que se entregou à arte com plenitude e conseguiu ser perfeita em todos os palcos, no teatro, no cinema, na TV e, nesse momento, na internet, junto a Ary Fontoura, Lima Duarte e Zezé Mota, grandes referências da dramaturgia brasileira que estão protagonizando posições importantes nesse novo meio de comunicação.

Acima de tudo uma mulher forte, inteligente, politizada, dona de uma profunda força na expressão do todo.

Eu poderia convidar vocês a conhecê-la por meio de biografia padrão, mas para isso vou colocar o link com wikipedia, seu curriculum na arte é indescritível.

Eu poderia convidar vocês a conhecê-la por meio de biografia padrão, mas para isso vou colocar o link com wikipedia, seu curriculum na arte é indescritível.

Vou usar um formato diferente! Organizei esse artigo utilizando:

Fotos

Uma grande atriz quando fotografada em diversos papéis e na vida, não precisa de legendas, as fotos falam por si;

Falas

Nesse tópico, vou destacar algumas frases muito autênticas da atriz e da mulher, sempre garantindo os créditos a quem fez a entrevista e a veracidade, incluindo os vídeos onde as falas se inserem;

Personagens

Uma atriz capaz de traduzir com perfeição tantas mulheres escritas para o teatro, cinema e TV, a partir de autores clássicos e populares. Uma atriz que incorporou deusas e mulheres do povo, sempre com a mesma dignidade.

Fotos

Segue abaixo uma sequência de fotos muito expressivas, elas dispensam datas, explicações ou fatos. 

Veja como elas acompanham a história dessa grande atriz! 

Acima de tudo agradecemos ao site Memórias Fotográficas, de onde buscamos muitas imagens, assim como ao Facebook e Instagram da atriz e de seus fãs clubes.

Aqui preciso fazer dois destaques especiais:

Fernando Torres – Marido 

Companheiro de jornada, no teatro estiveram juntos inúmeras vezes. Essas fotos trazem o saudoso Fernando. Duas fotos, duas épocas!

Fotos estilizadas, que foram publicadas pela “Gazeta do Povo” e pelo jornal “O Globo”.

Fernanda Torres – filha 

Atuaram várias vezes juntas – Foto na revista Marie Claire em homenagem aos 90 anos.

Falas e Entrevistas

Canal Brasil – Sangue Latino

  • Pergunta: Como é que é ser atriz?
  • É um ato misterioso. 
  • Uma função misteriosa! 
  • Estranhíssima! 
  • Pergunta: Você não se conforma em ser só você, ter só a sua vida. 
  • Eu tenho essa profissão há 70 anos, eu gosto de dizer ofício. 
  • Para mim, cada personagem que eu faço, seja uma comédia leve, seja um texto mais transcendente, aquela escrita não são sinais ali determinando um sentimento, na minha concepção e eu acho na maioria de nós, é um ser humano. Então você vai se multiplicando, vai se introjetando, vai se entupindo e você tem um continente (por gesto indica o corpo)…
  • Depois disso continue assistindo no vídeo a seguir, que é curto, mas muito lindo!

Perceberam que ela enaltece os fenômenos da comédia como Procópio, Jaime Costa, Cazaré e Golias que, com qualquer texto, em qualquer lugar, encontram uma brecha, uma fórmula para interpretar. Mesmo em tempos diversos, eles conseguiam arrancar na atuação, a qualidade para textos que muitas vezes não seriam tão bons.

Espelho com Lázaro Ramos

  • Fernanda inicia a entrevista falando sobre o tema da superexposição. Ela conta como encara esse fato na sua vida, fala sobre a quantidade de projetos interessantes que recebe, independentemente da idade. 
  • Muitas entrevistas, filmes, passeatas, muita coisa fora do trabalho dela em si. 
  • Além disso é muito divertido ver a naturalidade que ela fala sobre ver sua imagem em muitos espaços ao mesmo tempo. 
  • Você vai se divertir muito com a naturalidade da entrevista e com a tranquilidade para falar de idade, oportunidades, escolhas, filhos, a necessidade de desafios e novidades. Muito importante sobre escolhas e intuição.
  • Um dos pontos fortes está quando eles comentam sobre a necessidade do aprender a LER, para conseguir compreender o universo do texto. E essa importância não é só para o ator, é para todos!
  • Falam ainda sobre o Brasil e como Fernanda se descobriu atriz. A importância sobre o cinema, as novelas de rádio, o início da TV e o marido e sempre companheiro.
  • O valor de família na vida, é abordado com muita liberdade.
  • Assista, vale a pena conferir!

Depoimento para iniciantes – Desista

  • No início da entrevista falando: 
  • “Desista!”
  • Causa um espanto inicial, mas a explicação a seguir é perfeita.
  • “As pessoas muitas vezes escolhem a carreira por motivos errados! 
  • Por fama, por liberdade, para extravasar opiniões ou opções sexuais. 
  • Infelizmente, essa visão torta, projetada sobre a vida do artista, pode levar pessoas a escolhas erradas.
  • Poucos vão atingir a fama desejada, nem vão ficar ricos!
  • As opções e as liberdades não combinam com as necessidades das artes de dedicação, de entrega e de estudo.”

Personagens

Cinema

Quando puder, assista alguns filmes importantes na carreira da atriz e hoje disponíveis nas plataformas digitais. 

Fernanda atuou em mais de 40 filmes, muitos foram premiados e são verdadeiras obras primas.

Colocamos abaixo links para alguns filmes completos disponíveis na internet, para trailer ou para apresentações de alguns dos mais importantes.

“A falecida”

Filme de Nelson Rodrigues, drama, foi o primeiro filme de Fernanda e em 2015 entrou para a lista dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos, da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Filme está disponível no YouTube! Assista! 

Eles Não Usam Black-tie

Filme brasileiro gravado em 1981, baseado na peça de mesmo nome de Gianfrancesco Guarnieri. Foi premiado em vários festivais internacionais (inclusive o Festival de Veneza). Em 2015, o filme entrou na lista dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos, da Abraccine.

O trailer do filme está no YouTube e indica como você pode assistir hoje em dia!

Auto da Compadecida

É uma peça teatral em três atos, escrita por Ariano Suassuna em 1955. Uma história baseada na região Nordeste do Brasil, com elementos de cordel, comédia com traços do barroco católico brasileiro. A obra mistura cultura e religião. O filme e a série da Rede Globo foram um enorme sucesso de público.

Está disponível no Globoplay e tem propaganda no YouTube.

Central do Brasil

Filme franco-brasileiro de 1998, dirigido por Walter Salles, escrito por João Emanuel Carneiro e Marcos Bernstein. Fernanda foi indicada ao Oscar pelo filme. Um enredo em torno de Dora, uma professora aposentada que trabalha como escritora de cartas para pessoas analfabetas na Estação Central do Brasil, a qual ajuda Josué, um garoto cuja mãe morreu atropelada por um ônibus, a encontrar seu pai no Nordeste.

Central do Brasil – YouTube

A dama do Estácio

Uma história baseada na luta de uma prostituta para comprar o próprio caixão.  Filme simples com poucos recursos do novato Eduardo Ades, inspirado na obra de Noel Rosa. Destaque para Fernanda, Nelson Xavier e Joel Barcelos em interpretações perfeitas. Disponível no YouTube.

Casa de Areia

Filme brasileiro de 2005, dirigido por Andrucha Waddington, com locações no município de Santo Amaro, no Maranhão. Fernanda teve a companhia da filha Fernanda Torres e Seu Jorge nessa atuação.

A Vida Invisível

Filme teuto-brasileiro, dirigido por Karim Aïnouz. Nessa obra Fernanda dividiu as cenas com Carol Duarte e Julia Stockler, baseado no livro de mesmo nome da escritora pernambucana Martha Batalha. Ganhou o prêmio principal da Mostra Um Certo Olhar, no Festival de Cannes de 2019 e foi escolhido pela Academia Brasileira de Cinema para representar o Brasil no Oscar de melhor filme estrangeiro na 92ª edição do prêmio.

Teatro

Para abrir esse tópico, achei importante trazer uma apresentação com um tom teatral especial, um clássico de Shakespeare, Antônio e Cleópatra, perfeito! 

Para dar continuidade, buscamos boas referências para fazer a escolha das peças que seriam destacadas. Tivemos duas ótimas referências:

Texto do site Observatório do Teatro 

“Nos 90 anos de Fernanda Montenegro, conheça 15 peças essenciais na carreira da atriz”

LISTA: Conheça 15 peças essenciais na carreira de Fernanda Montenegro | Observatório do Teatro (uol.com.br)

Texto da Veja São Paulo 

“Fernanda Montenegro: dez peças marcantes da grande atriz brasileira”

A artista brasileira, que celebra 90 anos, tem um repertório que vai da comédia ao drama e passa pelo experimental em quase sete décadas.

Fernanda Montenegro: dez peças marcantes da grande atriz | VEJA SÃO PAULO (abril.com.br)

Vamos à nossa lista:

Alegres Canções nas Montanhas (1950)

Com Fernando Torres, Nicete Bruno e Beatriz Segall;

A Moratória (1955)

Dirigida por Giane Ratto, Fernanda estava na Companhia Maria Della Costa, contracenou com Monah Delacy e Sergio Brito;

Vestir os Nus (1958) 

obra de Luigi Pirandello, ainda com a mesma companhia, ajuda na criação do TBC (Teatro Brasileiro de Comédia);

O Mambembe (1959)

Junto com Fernando Torres e os amigos Ítalo Rossi, Gianni Ratto, Sérgio Britto, Luciana Petruccelli e Alfredo Souto de Almeida fundam o Teatro dos Sete, companhia que fez montagens fundamentais para o teatro brasileiro. O mambembe foi a primeira dessa trupe, peça de Arthur Azevedo e José Piza;

O Beijo no Asfalto (1961)

Com Francisco Cuoco

O Beijo no Asfalto | Foto: Funarte
O Beijo no Asfalto | Foto: Funarte
A Mulher de Todos Nós (1966)

Com Sergio Brito, rendeu à Fernanda o primeiro Prêmio Moliere (ela conquistou 8);

Seria Cômico… Se Não Fosse Sério (1975)

A peça é um duelo constante de um casal que, aos 25 de união, não conserva um pingo de dignidade. Fernanda dividiu o palco com Fernando Torres e Mauro Mendonça 

É… (1977)

Com Fernando Torres texto de Millor Fernandes.

As Lágrimas Amargas de Petra von Kant (1982)

Essa peça rendeu a Fernanda seu primeiro Mambembe e mais um Moliere. A foto da FUNARTE é muito bem-feita e merece ser apresentada. 

https://observatoriodoteatro.uol.com.br/wp-content/uploads/2019/10/fernanda-petra-4.jpg
Fedra (1986)

Um espetáculo que merece destaque na carreira da atriz, anos 80, montagem de Augusto Boal, texto de Jean Racine. Rodou o Brasil e rendeu elogios pelo Brasil e no exterior.

Dona Doida, Um Interlúdio (1987)

Poemas da escritora e poeta Adélia Prado, ficou 13 anos em cartaz.

Suburbano Coração (1989)

A peça contava peregrinações de uma mulher solteirona em busca do amor dos seus sonhos, canções de Chico Buarque. No elenco, Ana Lúcia Torre, Otávio Augusto e Ivone Hoffman.

The Flash and Crash Days (1993)

Com direção de Gerald Thomas. Essa peça se tornou uma das mais lembradas pelo público, dividindo o palco com a filha Fernanda Torres. O diretor criou um “jogo cênico homicida de mãe e filha no palco”, uma eterna rivalidade entre duas figuras sórdidas que se sabiam destinadas a matar ou morrer.  

https://observatoriodoteatro.uol.com.br/wp-content/uploads/2019/10/theflashemcrashdays.jpg
The Flash and Crash Days | Foto: Divulgação

Dias Felizes (1995)

Escrita por Samuel Beckett dirigida por Jacqueline Laurence e último espetáculo de Fernando Torres. Peça marcante para o casal.

Viver sem Tempos Mortos (2009)

Após longos anos cuidando do marido, Fernanda volta aos palcos enfrentando seu luto e dando voz à filósofa francesa Simone de Beauvoir, com direção de Felipe Hirsch. 

A Globonews apresentou parte desse texto numa entrevista feita em 2012 com Fernanda, onde a atriz diz que esse pedaço do texto a representa. Um texto que fala sobre presente, passado e futuro e faz parte de um espetáculo encenado.

Fernanda Montenegro recitando Simone Beauvoir – Globo News – YouTube

Nelson Rodrigues por ele Mesmo (2014)

Fernanda lê um texto autobiográfico e ela coloca a entonação perfeita para traduzir Nelson, acompanhe.

Meu Nelson Rodrigues Favorito – Fernanda Montenegro – YouTube

Televisão

Sua participação em novelas foi sempre um destaque, pois ela esteve em algumas das melhores e sempre disposta a se entregar ao personagem. 

Foi a pioneira, a primeira atriz contratada pela TV Tupi.

Sua primeira novela foi “Pouco amor não é amor” em 1963.

Vou trazer cenas de uma parte das obras da atriz. Divirtam-se!

A muralha

Cena com Nathalia Thimberg e Gianfrancesco Guarnieri.

A Muralha – TV Excelsior – 1968 – YouTube

Sangue do meu sangue

Cena com Armando Bogus, Henrique Martins, Tonia Carreiro, Francisco Cuoco e Sergio Brito.

Sangue do Meu Sangue – TV Excelsior – 1969 – YouTube

Depois disso, a partir de 1980, Fernanda passou a brilhar na Rede Globo, eu escolhi cenas que se tornaram referência na dramaturgia nacional. Os links permitem que vocês mesmos possam ver a atuação de Fernanda, não foram colocados em ordem cronológica e não vou incluir todas as atuações, pois ficaria muito extenso!

Brilhante

A personagem Chica Newman foi marcante. A cena escolhida tem Denis Carvalho como seu filho, onde a dramaturgia trata sobre a homossexualidade e o preconceito.

Brilhante (1981/82) : Chica Newman, Inácio e a homossexualidade – YouTube

Cambalacho

O casal Naná e Gegê marcaram época, dois cambalacheiros profissionais. Uma grande parceria com Gianfrancesco Guarnieri. Nessa cena, um padre e uma mulher grávida vendem carnês para um abrigo de crianças!

Fernanda Montenegro Diva das Artes – Cambalacho 1 Naná e Gegê são descobertos e fogem – YouTube

Guerra dos sexos

Uma das cenas antológicas da televisão, o encontro de Fernanda com Paulo Autran, num pastelão que merece ser revisto:

GUERRA DOS SEXOS café da manhã 1983) cena clássica – YouTube

Belíssima

Uma das maiores vilãs das novelas, Fernanda criou Bia Falcão, uma mulher sem conceitos de moral ou ética, de um profundo egocentrismo.

Bia Falcão – Pobreza Pega (Novela ”Belíssima”) HD – YouTube

Rainha da Sucata

Uma mulher desesperada de amor, morre de uma maneira nada formal na trama.

Rainha da Sucata – Cap. 02 – Salomé se desespera no enterro de Onofre – YouTube

O Dono do Mundo

Uma cena perfeita entre duas grandes parceiras na teledramaturgia brasileira, contracenando com Nathalia Thimberg.

O dono do mundo – YouTube

Doce de mãe

Esse trabalho rendeu um Emmy, uma comédia onde Fernanda é uma mulher de 85 anos e o enredo está ligado a relação dela com a família.

Doce de Mãe | Teaser – YouTube

Babilônia

Fernanda Montenegro e Nathalia Thimberg enfrentam todo o preconceito de viver duas mulheres apaixonadas e apaixonantes.

Acima de tudo a apresentação de ambas antes do início da novela mostra bem como seria difícil enfrentar a sociedade.

Babilônia: Nathalia Timberg é Estela na nova novela da Globo – YouTube

Babilônia: Rafael tem duas mães na novela das nove da Globo – YouTube

Dona do pedaço

Em a Dona do Pedaço, ela interpreta uma líder familiar capaz de tudo numa luta de famílias, mata e morre por isso.

Dulce atira nos Mateus | A Dona do Pedaço – YouTube

LEITURAS

Suas leituras de texto merecem especial atenção, principalmente para os jovens aspirantes ao teatro, cinema e televisão.

Portanto lembrem-se que a emoção da interpretação de personagens nasce na leitura do texto realizada com um elenco.

Mas, acima de tudo, devemos entender que quando um ator se propõe a fazer um monólogo ou dar vida a um texto, ele tem que estar preparado para ser único! É uma entrega enorme, pois os sentimentos, as imagens e a criação de um autor estarão em suas mãos, completamente em suas mãos.

Fernanda participa da 16ª. FLIP, feira de leitura de Parati, faz uma leitura especial que homenageia Hilda Hirst, autora brasileira que criou poesia, crônica e ficção na dramaturgia brasileira. 

Fernanda Montenegro homenageia a escritora Hilda Hilst na 16ª Flip #ProgramaDiferente – YouTube

Esse texto curto é de uma simplicidade e beleza especial, onde o ator estabelece na voz a emoção do texto. Uma produção do Canal Brasil. Eduardo Galeano é um jornalista e escritor uruguaio, com mais de 40 livros escritos.

Ouça:

Fernanda Montenegro lê “A Pequena Morte”, de Eduardo Galeano – YouTube

Em conclusão: diante de uma atriz tão perfeita, só me resta encerrar agradecendo a ela por nos presentear, sempre, com arte pura!

Foto de capa: (crédito: Itaú/ reprodução ). extraído de https://www.correiobraziliense.com.br/diversao-e-arte/