Skip to content

O dia de ação de graças

Thanksgiving Day

dia de ação de graças

Pintura de Jean Leon Gerome Ferris (The First Thanksgiving, 1621)

Origem 

A festa norte-americana do Dia Ação de Graças (Thanksgiving Day) remonta o ano de 1621 (séc. XVI), quando os pioneiros colonizadores ingleses, na região chamada de Nova Inglaterra, atual estado de Massachusetts -EUA, se reuniram, junto com outros imigrantes e nativos para festejar e agradecer a Deus pela boa colheita, pela chegada de materiais vindos da Europa, depois de um rigoroso inverno.

Em 1789, George Washington indicou a data de 26 de novembro, como Dia de Ação de Graças. Em 1863, durante a Guerra civil, o então presidente Abraham Lincoln proclamou o Dia especial como festivo, mas apenas em 1941, com o presidente Roosevelt, a data passou a ser feriado Nacional, como uma tradição anual. 

A partir de então, milhares de pessoas, parentes e amigos, se juntam a suas famílias, para uma refeição em torno da indiscutível estrela principal do Dia de Ação de Graças, que é o famoso ‘peru recheado’, que geralmente é acompanhado com muitas variações, e também, eventualmente, por pratos típicos feitos à base de:

  • Abóbora, batata-doce, purê de batata, molho de cranberry, frutos silvestres, além de cookies e
  • tortas de maçã e nozes, conforme a geografia de cada região. 

O peru

O costume de comer peru, ave americana, remonta aos Astecas que na época, ofereceram as aves como presente aos imigrantes. Mais de um século depois, elas foram reintroduzidas em Massachusetts pelos colonos, que começaram a criá-las em grande escala. 

Cerca de cinquenta milhões de perus são consumidos no Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, motivo pelo qual, a data é popularmente conhecida como “Turkey Day(Dia do Peru). 

Anualmente, o presidente dos Estados Unidos participa de uma cerimônia em que “perdoa” dois perus, poupando-os do abate.

Para os norte-americanos, em geral, o feriado representa momentos de convívio para agradecer a Deus pela vida que têm, então, não acontecem em restaurantes ou locais públicos, mas na privacidade da casa, entre familiares e amigos. 

O feriado nos Estados Unidos é quase tão importante quanto o Natal, mas, curiosamente, não está associado a nenhuma religião, sendo comemorado anualmente e por todos, independente do Credo. 

A festa tornou-se tradicional nos Estado Unidos e no Canadá, nas ilhas do Caribe e depois, em outros países. Na Europa a festa se tornou conhecida, graças à televisão e ao cinema.

No Brasil, apesar de não ser uma comemoração muito popular, nas escolas de línguas é lembrado, aproveitando a oportunidade de divulgar a cultura americana. 

Logotipo

Descrição gerada automaticamente com confiança baixa

Nos Estados Unidos, também faz parte do ritual do Dia de Ação de Graças, assistir ao jogo de FOOTBALL AMERICANO na TV, após a refeição em família. 

O ‘Thanksgiving’ marca oficialmente o início do período natalício, com direito a composições musicais como o famoso, JINGLE BELLS (1859). 

A festa é celebrada também com orações e desfiles, como a conhecida  

Parada Macy’s Thanksgiving Day Parade, promovida pela loja Macy’s, em Nova Iorque, desde 1924.

Jantar de Ação de Graças nos EUA

Jantar típico do Dia de Ação de Graças

Parada Macy’s Nova Iorque

Desfile do Dia de Ação de Graças da Macy's em Nova York

A Eucaristia

O maior “Muito Obrigado” dos católicos

Grupo de pessoas posando para foto

Descrição gerada automaticamente com confiança média

Os católicos, no mundo inteiro, comemoram todos os domingos, a Festa de Ação de Graças, com a celebração da Missa = Eucaristia (termo grego que significa: ‘Ação de Graças’). A Eucaristia acontece desde que Jesus, antes de morrer na Cruz, celebrou a sua Última Ceia junto com seus discípulos. 

Homem com a luz acesa

Descrição gerada automaticamente com confiança média

Durante o jantar Ele tomou pão em suas mãos, pronunciou a benção de Ação de Graças a Deus, partiu-o e deu-o aos amigos, dizendo: ‘tomai e comei, todos, isto é o meu corpo’. 

Em seguida, pegando o cálice com vinho, deu graças novamente e passou-o a eles, dizendo: ‘Bebei dele todos, pois este é o meu sangue da Nova Aliança, que é derramado em favor de muitos, para a remissão dos pecados’ (Mt 26,26ss). 

No final, ainda acrescentou: ‘fazei isso, em memória de mim. Assim, Pão e Vinho, consagrados na missa, se tornaram o memorial dos gestos extremos de entrega da vida de Jesus ao Pai e por amor de nós, para nos salvar da morte e do pecado. 

Pela ordem de Jesus, os católicos não se cansam de reunirem-se em comunidade no domingo, para festejarem o dia da Páscoa Semanal, para dizer o grande ‘Muito Obrigado a Deus’, pelo seu amor por nós e pela sua misericórdia sem fim, que se dignou enviar ao mundo o seu próprio Filho unigênito para nos dar seu perdão, e garantir a vida do Eterno para todos nós.  

Celebração semanal

A celebração semanal dos cristãos, não tem peru recheado, mas tem o banquete nupcial do Corpo doado do Senhor e do seu Sangue derramado por todos nós, que nos santifica, inebria, perdoa, nos salva da morte definitiva e nos garante a Vida do Eterno em nós. 

Assim, ao participarmos da Eucaristia (Ação de Graças) entramos, agradecidos, no Mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, de forma a participamos do seu incondicional amor que renova nosso coração, nossa vida e a forma de nos relacionarmos com Deus e os irmãos. 

Por isso, se diz que ‘só pode comungar dessa mesa santa da eucarística, quem ama e pede perdão, quem comunga na vida do irmão’. A participação semanal na mesa eucarística nos une de forma profunda com Cristo e entre irmãos. Faz-nos saborear desde já, a comunhão plena com Deus, no banquete celestial onde teremos a alegria de contemplar Deus ‘face a face’.

Nunca será suficiente agradecer a Deus pelo dom, pelo presente tão grande que Ele nos deu, que é a vida. Por isso, é importante ir à igreja aos domingos, não só para rezar, mas para receber a ‘sagrada comunhão’, que é o Corpo e Sangue de Cristo que nos salva, nos perdoa, que nos une ao Pai num Amor eterno. 

Todos os domingos vamos à missa porque é o dia que Jesus ressuscitou dos mortos e apareceu vivo à comunidade e comeu com ela. Com isso, garantiu-nos a possibilidade da vida que vence o mal e a morte, a feliz ressurreição para nunca mais morrer. 

É bonito e importante compreender o valor e a riqueza da nossa fé que, desde sempre, nos reúne para render Graças ao Bom Deus que mantém viva a nossa esperança, no seu Amor e na Sua comunhão conosco. 

Padre religioso, trabalha na paróquia São João Batista do Brás.