Skip to content

A arte é divina

A arte da imagem é fundamental,

Ela grava, guarda, 

registra fatos, momentos, cenas,

únicas, verdadeiras, secretas e públicas,

ela eterniza o belo e o terrível,

ela torna o momento raro.

Mas isso é muito maior do que você imagina,

Pois ela é única na percepção 

e mais ainda na reação…

A lágrima que corre no rosto da Maria 

quando nasceu seu filho não se repete, 

o sorriso de vitória de um campeão 

no momento do recorde não volta mais, 

o sabor do beijo da pessoa amada 

pode se repetir, mas não será igual, 

o brilho do olhar da criança 

quando vê um desenho nas nuvens do céu 

nunca será igual.

A arte da imagem precisa ser reverenciada 

não só pelo registro da ação, 

mas pelo registro da reação única produzida.

A arte da bailarina 

pode ser repetida milhares de vezes, 

suada, treinada, 

mas o momento da perfeição 

será único 

e se for registrado se tornará eterno 

para quem vive, 

para quem vê 

e para quem sente as consequências daquela visão.

Esse registro, 

esse momento, 

esse ápice 

é o que nós artistas buscamos.

Digo sempre que os girassóis de Van Goch 

ou a Pietá de Michelângelo, 

são únicas na concepção, 

mas podem gerar reações diversas 

que se registradas, fazem nova arte, 

fazem a música sentida, pela fé na imagem, 

pela dor na estátua, 

pela perfeição da execução, 

pela entrega 

e pelo belo que significa para cada um que a vê, 

algo único e indescritível.

Enfim, o que quero dizer 

é que a arte é divina, 

pois registra mais que um momento, 

uma imagem ou um segundo de luz, 

ela gera infinitas respostas, 

dores, sorrisos, atos e sentimentos

mas gera dúvidas e reações distintas 

para sempre…

Deus está na arte,

A arte é divina, plena, eterna 

No olhar de quem a reconhece,

De quem a vive…