Skip to content

O que me mata

Formato poético

O que me mata é não ter para onde fugir, 

porque para qualquer lugar que eu vá 

carregarei na bagagem lembranças, 

pensamentos; 

carregarei a mim mesma.

O que me mata é não poder sonhar, 

pois os sonhos podem me trazer alguns prazeres, 

mas não trarão o que necessito.

O que me mata é não conseguir encontrar as respostas, 

pois sempre as procuro no lugar errado.

O que me mata é o cansaço em caminhar; 

cair e levantar tantas vezes sem saber quando irei chegar lá.

O que me mata é não poder colocar a culpa em ninguém, 

porque eu sou a única culpada de tudo o que acontece em minha vida.

O que me mata é saber que eu sou 

todas as perguntas e todas as respostas.

O que me mata é compreender 

que tudo isso que me mata também me fortalece.